Editora do Autor de Best–seller do New York Times e Best–seller Internacionais, L. Ron Hubbard

Aplicação da Teoria dos Jogos

 Aplicação da Teoria dos Jogos

Aplicação da Teoria dos Jogos

Com os elementos dos jogos a emergirem como uma base da audição, L. Ron Hubbard iniciou um Curso Profissional muito especial. Considerando que ele tinha esboçado a teoria dos jogos e a sua aplicação nas conferências O Remédio de Havingness – Porquê Jogos, ele empreendeu agora a instrução de estudantes na Aplicação da Teoria dos Jogos ao Processamento exata. Aqui estão os três fatores que estão subjacentes ao fenómeno de estar “preso num ganho”. Aqui está, também, a sua explicação em profundidade de uma condição de não-jogo. Para além disso, e no sentido de aplicação de processos específicos, três conferências são dedicadas aos Seis Níveis de Processamento. Esta série de conferências, onde foram gravados muitos dos avanços que formam a substância de Scientology: Os Fundamentos do Pensamento, contém tecnologia tão importante que esta tomaria o seu lugar como um componente central da audição standard. E para um resumo final do que isso representava, não foi nada menos que os meios para restaurar o controlo do seu próprio destino aos seres. Pois, como o Sr. Hubbard disse aos auditores: “Vocês são os peritos em consciência. E vocês usam essa consciência para o terem consciente das barreiras e da liberdade. E se o fazem de forma perfeita vocês ganham. E esse é o jogo da audição.”

Leia Mais
adquira
$125 USD
Envio Gratuito Atualmente elegível para envio gratuito.
Em Stock Envio dentro de 24 horas
Formato: CD
Conferências: 9

Mais sobre Aplicação da Teoria dos Jogos

Vocês não estão a tentar encontrar alguma coisa errada com o preclear para a corrigir. Vocês estão, em vez disso, a tentar descobrir como torná-lo melhor. Ora, nem sequer têm de procurar por uma barreira para ele estar melhor, para o poderem tornar melhor, porque há certas coisas que ele tem obrigação de fazer. E portanto nós não estamos muito interessados na razão pela qual ele não a pode fazer, mas estamos interessados em que ele as faça. – L. Ron Hubbard

Em Fevereiro de 1956, o Sr. Hubbard esteve em Londres durante 5 meses. O seu objetivo era não apenas consolidar a estrutura organizacional de Scientology na Grã-Bretanha, mas atualizar os auditores nos avanços técnicos dos dois anos anteriores, desenvolvendo ao mesmo tempo o “como” da disseminação para abrir as comportas. E sob todos os aspetos, a resposta resultante foi um sucesso sem precedentes.

Na frente organizacional, a Associação Hubbard de Scientologists Internacional tinha crescido para além das instalações existentes e mudado para umas instalações maiores em Brunswick House na agitada Palace Gardens Terrace. Enquanto simultaneamente, a disseminação estava a disparar, quer em termos da consciência do público sobre Scientology, quer em termos da sua aplicação na sociedade. Porque com L. Ron Hubbard a entregar pessoalmente uma série de palestras públicas célebres no New Lindsey Theatre – a assistência excedeu muito a capacidade – ele também tinha estado a obter reconhecimento nacional através dos jornais que o caracterizavam como um “pioneiro” nas “fronteiras da mente, e para além”. Enquanto no que respeita à abrangência dos seus esforços de disseminação – ela foi caracterizada por um arcebispo, agora também estudante do Curso Profissional, que estava a percorrer a penúltima lista de Auto-Análise na congregação da Antiga Igreja Católica do Bom Pastor em Chelsea.

Contudo, ainda mais notável, e da maior importância para ele, foi a série de desenvolvimentos técnicos sem precedentes durante estes poucos meses. Especificamente, em Outubro de 1955, o Sr. Hubbard começou a entrega do 4.º Curso Clínico Avançado de Londres, onde lecionou os auditores sobre os avanços fundamentais a todos os casos e treinou-os num arsenal de novos procedimentos. Então, com o ACC ainda a todo o gás, ele tinha inaugurado palestras regulares – o Encontro de Auditores de Londres. E com graduados do ACC agora a aplicarem a nova tecnologia a uma gama alargada de preclears, em combinação com a supervisão de L. Ron Hubbard da instrução dada a esses auditores de Londres, um único fator estava a emergir como o fulcro em audição: Jogos.

De facto, tão importante era este fator que o Sr. Hubbard iniciou a entrega de um Curso Profissional muito especial. Porque apesar de ter delineado a teoria dos jogos e a sua aplicação nas palestras do Encontro de Auditores de Londres, ele agora empreendeu a instrução de estudantes na codificação exata e aplicação da Teoria dos Jogos no processamento. De facto, isso era tecnologia tão vital para toda a audição que iria culminar no marco histórico, Scientology: Os Fundamentos do Pensamento.

Especificamente, a Vida é um jogo. Mais importante, e o que o Sr. Hubbard estava a inculcar naqueles estudantes, era a importância de auditar uma consideração que estava subjacente praticamente a toda a linha do tempo – um indivíduo tem de ter uma restrição para ter liberdade.

“Vocês dizem: ‘Eu quero tornar este preclear livre.’ Como é que o libertam? Dêem-lhe pelo menos uma barreira.

“Ele tem de ter alguma coisa da qual se tenha de libertar. Se ele não tem nenhuma, a sua liberdade não existe. Ele está num estado muito mau se ele não tiver restrições ou barreiras. E isto é provado pelo facto de meramente restaurar as barreiras das pessoas, nós elevamo-las em inteligência, em capacidade, em felicidade e damos-lhe um jogo.”

Aqui estava, então, a aplicação do Processamento de Jogos à audição, com uma bateria de dados relacionados e aplicações:

  • Energia – ao esfregar os pensamentos num pedaço de energia, um thetan pode fazer que ela desapareça;
  • Livre-arbítrio – a sua relação com havingness;
  • Barreiras – uma havingness que é um problema do qual a pessoa gostaria de se libertar;
  • Não-Saber – como é uma das barreiras e limitações de um jogo;
  • Mock-ups – como no decurso da pesquisa, o peso de um indivíduo aumentou de 90 para 104 Kg como resultado de mock-ups que ele introduziu no seu corpo;
  • Ciclo-de-ação – a sua relação com liberdade, havingness e problemas;
  • Seis Níveis de Processamento – o seu desenvolvimento e aplicação no Processamento de Jogos;
  • Confusão – como remediá-la com a introdução de um dado estável;
  • Avaliação – a definição de avaliação é tentar impor ao preclear a realidade do auditor, a qual não é a realidade do preclear.

Com a completação bem-sucedida deste Curso Profissional, L. Ron Hubbard lançou tecnologia tão importante que iria influenciar todos os desenvolvimentos seguintes e tomar o seu lugar como um componente central de audição standard. E, como resumo final do que isso representava, ela era nada menos do que os meios para devolver aos seres o controlo do seu próprio destino:

“Vocês são auditores. Estão a lidar com a pensatividade e a vivência de uma pessoa, e por isso podem modificar as suas mentes. E estas coisas são teoricamente verdade, mas elas não funcionam no universo físico através da dramatização e ação. Tal como uma pessoa pode ficar para sempre a dramatizar um engrama de raiva sem nunca o gastar, ela também pode ficar para sempre a viver neste universo sem nunca se tornar suficientemente consciente disso para se lançar em qualquer outra direção, compreendem? Por isso ele poderia ficar para sempre numa base não consciente.

“Vocês são os peritos em consciência. E vocês usam essa consciência para o terem consciente das barreiras e da liberdade. E se o fazem de forma perfeita vocês ganham. E esse é o jogo da audição.”

« ACC Lectures